Projeto Fica Vivo: ações estratégicas, mobilização e participação social interferem positivamente na sociedade

Pograma Fica Vivo

“Mais do que uma explosão de criminalidade, principalmente de homicídios, houve uma implosão geográfica de criminalidade na cidade de Belo Horizonte”. Essa afirmação, feita por Beato em 2003, corrobora com os achados de outras pesquisas, como a realizada em 2002 pelo Centro de Estudos de Criminalidade e Segurança Pública da Universidade Federal de Minas Gerais (CRISP/UFMG). Os dados apontam para indicadores de violência que vão além das questões etárias, raciais ou de gênero, já algum tempo conhecidas, pois indicam também um aumento da criminalidade concentrada em determinadas regiões da cidade, como em determinadas vilas e favelas.

Centro de Estudos de Criminalidade e Segurança Pública (CRISP) da UFMG

Partindo desse ponto de conhecimento espacial da criminalidade, o projeto Fica Vivo foi elaborado e desenvolvido pelo CRISP/UFMG com apoio do Comando de Polícia da Capital e a Chefia de Polícia Civil, bem como de funcionários municipais e estaduais. Com formato de curso e com base na experiência positiva realizada na cidade de Boston (EUA), os participantes destacaram quatro níveis de problemas: institucional, organizacional, comunitário e individual, e definiram estratégias de intervenção social com enfoque geográfico.

Para avaliar o impacto do Programa Fica Vivo na prevenção à ocorrência de homicídios em uma comunidade, Silveira e colegas realizaram um estudo no aglomerado Morro das Pedras, em Belo Horizonte, MG, de 2002 a 2006. Os autores comparam o número de homicídios ocorridos nessa localidade com os de outras favelas violentas e não-violentas em outros bairros da cidade, em cada uma das fases do Programa.

O aglomerado denominado “Morro das Pedras” foi escolhido devido a sua alta incidência de homicídios e pela boa estrutura pública e comunitária, mobilizadas e interessadas em enfrentar o problema. Fundamentalmente, o Programa iniciou-se com atividades direcionadas para comunicação e esclarecimento do próprio programa, sinalizando para a não-tolerância aos homicídios, vista pelos delinquentes como forma de resolução de conflitos. Acima de tudo, estimulou-se a participação comunitária, com fixação de cartazes, distribuição de panfletos e palestras em escolas. Além disso, intervenções estratégicas com expedições de mandados de busca e apreensão, mobilização da polícia militar e civil para apreensão de criminosos, operações de revista e apreensão de armas, dentre outras, foram realizadas.

Com foco nos indivíduos de 12 a 24 anos e detecção de clusters de homicídios e tráfico de drogas, o programa obteve uma redução de 69% no número médio de homicídios nos primeiros seis meses. Em alguns momentos, o programa teve redução de atividades e retomadas parciais, onde o efeito da redução dos homicídios diminuiu. Para Silveira e colegas, os resultados sugerem que o modelo do Programa Fica Vivo pode constituir uma importante alternativa para prevenção de homicídios contra jovens em comunidades que apresentem características semelhantes à do Morro das Pedras.

Nesse artigo publicado na Revista de Saúde Pública, os autores teceram ainda algumas considerações quanto aos resultados da avaliação dos impactos do Programa sobre a ocorrência de homicídios, abordando a dificuldade de se isolar os efeitos de outras intervenções ocorridas na área estudada. Além disso, suscitam a possibilidade de a redução dos homicídios serem devido à migração dos grupos criminosos para outras áreas.

Apesar das dificuldades metodológicas, a dinâmica de espaços geográficos tem sido cada vez mais utilizada. Não só para o melhor entendimento de distribuição e determinantes do crime, mas para o entendimento de outros desfechos, comparando vizinhanças ou determinadas áreas.

Programas que combinem repressão qualificada ao crime e inclusão social, como o Programa Fica Vivo, intervêm na realidade social antes que o crime aconteça, utilizando ações estratégicas, mobilização e participação social.

No estudo de Silveira e colaboradores, os autores reforçam também a importância da perspectiva intersetorial no combate à violência, que tem como uma de suas principais origens às iniquidades sociais. Ações implementadas em outras áreas além do setor saúde, com estratégias adequadas ao cenário local, representam a possibilidade de se obter sucesso no combate às desigualdades sociais, inclusive para agravos que notoriamente extrapolam o setor saúde. Além disso, a complexidade das estruturas sociais sinaliza que ações de combate a agravos em saúde não devem ser planejadas isoladamente. Uma perspectiva intersetorial no planejamento e execução das ações aumenta a possibilidade de sucesso, principalmente quando estas ações têm como foco fatores comuns para diferentes problemas sociais, gerando impacto para a saúde e para o bem estar da população de forma mais global.

Referências Bibliográficas

Beato Filho CC, Assunção RM, Silva BFA da, Marinho FC, Reis IA, Almeida MC de M. Conglomerados de homicídios e o tráfico de drogas em Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil, de 1995 a 1999. Cad Saúde Pública [periódico na internet]. 2001 [acesso em 27 jul 2011];17(5):1163-71. Disponível em: http://www.scielosp.org/pdf/csp/v17n5/6324.pdf

Governo do Estado de Minas Gerais, Secretaria de Estado de Defesa Social, Superintendência de Prevenção à Criminalidade. Programa de Controle de Homicídios – Fica Vivo!  Belo Horizonte: Governo do Estado de Minas Gerais; 2009.

Silveira AM, Assunção RM, Silva BAF da, Beato Filho CC. Impacto do Programa Fica Vivo na redução dos homicídios em comunidade de Belo Horizonte. Rev Saúde Pública [periódico na internet]. 2010 [acesso em 27 jul 2011]; 44(3):496-502. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-89102010000300013

63 Comentário

  1. Sou secretário de inclsão social de Porteirinha e queria implantar na minha cidade como faço?

  2. Agradecemos seu interesse. Entraremos em contato para mais informações.

  3. Fui informada de que ja há projeto aprovado para incluir esse trabalho em minha comunidade: como me informo melhor?

  4. Cleyde. Agradecemos sua participação e interesse. Enviaremos mais informações através de contato pelo seu e-mail.
    Atenciosamente,
    Equipe Editorial do Portal DSS Brasil

  5. Sou academica da 16ª Turma do Curso de Direito da Faculdade Atenas de Paracatu , e fascinada pelo projeto . Gostaria de saber se seria possível implantá -lo aqui na minha cidade .

    Aguardarei resposta

    Atenciosamente

    Elisabeth Ribeiro

  6. Cara Elisabeth, agradecemos sua participação e interesse. Enviaremos mais informações através de contato pelo seu e-mail.
    Atenciosamente,
    Equipe Editorial do Portal DSS Brasil

  7. Sou assistente social do CREAS da cidade de Patos de Minas, estamos precisando muito deste projeto maravilhoso. Gostaria de saber o fazer mais detalhado para termos acesso ao projeto. Trabalho com adolescentes infratores em cumprimento de medidas socioeducativas em meio aberto (liberdade assistida e prestação de serviço à comunidade). Temos um índice muito alto de homicídio neste público aqui. Aguardo contato. Grata/Márcia

    • Márcia Helena, agradecemos sua participação e interesse. Enviaremos mais informações através de contato pelo seu e-mail.
      Atenciosamente,
      Equipe Editorial do Portal DSS Brasil

  8. Boa tarde. Eu tenho muito interesse em trabalhar no projeto “Fique vivo” em Belo Horizonte. Sou professora de Português e tenho até um projeto em mente, só não sei como proceder para elaborar o projeto e para quem enviar. Como eu faço? Agradeço desde já.

    • Cara Fernanda, agradecemos por sua participação. Entraremos em contato por e-mail.

      Atenciosamente,

      Equipe Editorial do Portal DSS Brasil

  9. Olá. Sou Professor de música( violão e Teclado/Piano ) e já a tempos queria uma oportunidade de trabalhar em algum projeto Social como este. Resido em Contagem e os jovens e crianças da minha região estão sendo atingidos fortemente pelo tráfico e pelo crack e a música é uma maravilhosa e impressionante ferramenta no combate à criminalidade. Gostaria de saber como posso integrar-me no projeto e ajudar minha comunidade. Obrigado!

  10. Bom Dia. Trabalho na área da música, moro em Ribeirão das Neves. Gostaria de saber mais informações sobre a integração de profissionais.

    • Anderson e Diego, encaminharemos mais informações e contatos por e-mail.
      Atenciosamente,
      Equipe Editorial do Portal DSS Brasil

  11. Sou Secretária Municipal de Saúde do município de Medina MG, gostaria de saber, se é possível a implantação do Programa Fica Vivo! no meu município.
    Atenciosamente,
    Vânia

    • Cara Vânia, entraremos em contato através de seu e-mail.
      Atenciosamente,

      Equipe Editorial do Portal DSS Brasil

  12. Olá, boa tarde. Li esta artigo e achei muito interessante. Estou começando meu trabalho de TCC, e meu tema é relacionado a esse assunto. Quero conhecer os projetos que envolvem estratégias que mantenham os jovens longe das drogas, principalmente longe da experimentação pela primeira vez. Se tiverem algum material em relação ao tema, conto com a colaboração para me enviarem e meus agradecimentos desde já. Obrigada.

  13. Cara Jaqueline Francisca, faremos contato através de seu e-mail.
    Equipe Editorial do Portal DSS Brasil

  14. Li o artigo achei super interessante,domicilio em Paracatu-MG,onde o indice de criminalidade bate recorde. Gostaria de fazermos alguma coisa pela populaçao. Como implantar este projeto na nossa cidade?

  15. Olá, boa noite fiquei interessada no trabalho de vcs, gostaria de contribuir de alguma forma para combater o índice de criminalidade aqui em Montes Claros. Sou formada em pedagogia estou desempregada, gostaria de fazer um projeto de culinária, reforço escolar entre outros. Obrigada.

    • Cara Denise, faremos contato através de seu e-mail.
      Equipe Editorial do Portal DSS Brasil

  16. Gostaria de conhecer mais sobre este programa fica vivo, onde enviar um currículo para entrevistas.

    • Cara Lucinete, faremos contato através de seu e-mail.
      Equipe Editorial do Portal DSS Brasil

  17. Sou estudante de Educação Física, e tenho interesse em participar desse programa.

    • Cara Jéssica, faremos contato através de seu e-mail.
      Equipe Editorial do Portal DSS Brasil

  18. Sou morador de um bairro que esta sobre alto índice de assassinatos e gostaria de saber o que e em que este projeto poderia nos ajudar, talvez, até mesmo para minha cidade. Gostaria muito de poder colaborar com algo de melhor para minha terra. Obrigado!

    • Gilmar, sugerimos entrar em contato com o projeto, enviaremos os contatos por e-mail.
      Agradecemos pela participação,

  19. Gostaria de informações de como implantar uma metodologia ou replicar o projeto Fica Vivo no interior. O Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente diante de seu diagnóstico necessita propor uma ação de intervenção em territórios de alta vulnerabilidade (Adolescentes : grande índice de homicídios, trafico e consumo de drogas, atos infracionais e mortes por overdose).

    • Prezado Eduardo, agradecemos por sua participação e interesse. Faremos contato através de seu e-mail.
      Atenciosamente,
      Equipe Editorial do Portal DSS Brasil

  20. Atuo como voluntária em programas sociais a 5 anos em uma comunidade da região de Belo Horizonte localizada na regional de Venda Nova e que faz divisa com bairros de Vespasiano. Percebo que a vulnerabilidade social vem aumentando onde nessas instalam-se os pontos de conflitos.
    A ultima vitima destes conflitos foi um adolesecente de 13 anos que recebeu uma bala perdida a menos de 2 semanas. Acredito que a ampliação dos programas sociais na comunidade reduziriam esses acontecimentos.
    Gostaria de saber pra quem levar a proposta de implementação programa na minha comunidade? e se há um modelo padrão de projeto a seguir?
    Att.

    • Cara Andressa, agradecemos por sua participação. Entraremos em contato por e-mail.

      Atenciosamente,

      Equipe Editorial do Portal DSS Brasil

  21. Olá, sou estudante de Educação Física e tenho interesse em participar ministrando uma oficina neste programa em Belo Horizonte ou em Ribeirão das Neves, como faço para participar?
    Aguardo resposta.
    Obrigada.

    • Prezada Karen, faremos contato através de seu e-mail.
      Obrigada,

      Equipe Editorial do Portal DSS Brasil

  22. Boa tarde. Gostaria de maiores informações sobre o programa e como fazer para implantá-lo.

    Obrigada

    • Cara Viviane, faremos contato através de seu e-mail.
      Obrigada por seu contato e interesse.
      Equipe Editorial do Portal DSS Brasil

  23. Boa noite, moro na região do bairro Cabana do Pai Tomáz e sou praticante de Karate Kyokushin , e quero saber como apresentar um projeto de oficina para lecionar para crianças e adolescentes: como fazer para me inscrever no programa?

    • Caro Marcos, faremos contato através de seu e-mail.
      Obrigada,
      Equipe Editorial do Portal DSS Brasil

  24. Olá, necessito de alguns endereços ou emails do CPC – Fica Vivo das regiões de Belo horizonte. Sou educadora artística e tenho interesse em estar com vocês dando iniciação teatral para crianças/jovens/adultos.
    Obrigada.

  25. Boa tarde,
    Sou estudante do curso de Educação Física, estou no 8° período e tenho interesse em participar do Projeto. Como faço para me inscrever?
    Desde já agradeço.

  26. Cassiana, faremos contato através de seu e-mail.
    Agradecemos sua visita.

  27. queria adaptar umas oficinas de esporte do fica vivo aqui na minha cidade , moro no interior de minas gerais , pitangui , como que eu faço .. aguardo a resposta

    breno henrique
    prof de educação física

    • Breno. Agradecemos sua participação e interesse. Enviaremos mais informações através de contato pelo seu e-mail.
      Atenciosamente,
      Equipe Editorial do Portal DSS Brasil

  28. Boa tarde! sou professora da Universidade Federal de Sergipe, mineira, de BH, conheço um pouco do excelente projeto. Gostaria de fomentar sua inclusão na cidade de Lagarto. Podem me enviar mais informações, por favor?

    Cordialmente,
    Renata.

    • Prezada Renata, faremos contato através de seu e-mail.
      Atenciosamente,
      Equipe Editorial do Portal DSS Brasil

    • Prezado Lucas, faremos contato através de seu e-mail.
      Atenciosamente,
      Equipe Editorial do Portal DSS Brasil

    • Prezada Lara, faremos contato através de seu e-mail.
      Atenciosamente,
      Equipe Editorial do Portal DSS Brasil

  29. Olá, tenho muito interesse de participar do projeto sou professor de teoria musical em geral e instrumentos musicais meu forte é violão clássico, violão popular, guitarra e partitura. Tenho experiência na área por atuar há 9 anos lecionando. Quero saber como posso atuar no projeto? Desde já obrigado!

    • Prezado Thiago, faremos contato através de seu e-mail.
      Atenciosamente,
      Equipe Editorial do Portal DSS Brasil

  30. Olá, tenho muito carinho por esse projeto sei que será muito úitl em meu país. Gostaria de ajudar a criançada, os jovens e demais pessoas.

    • Eduardo. Agradecemos sua participação e interesse. Enviaremos mais informações através de contato pelo seu e-mail.
      Atenciosamente,
      Equipe Editorial do Portal DSS Brasil

    • Prezada Cleo,
      Agradecemos sua participação e interesse. Enviaremos mais informações através de contato pelo seu e-mail.
      Atenciosamente,
      Equipe Editorial do Portal DSS Brasil

  31. Bom dia sou professor de Taekwondo e tenho vontade de implantar o projeto onde eu moro em ribeirão das neves como eu faço quem eu procuro pra mais informações. Deis de já agradeço

    • Caro Fagner, agradecemos sua participação e interesse. Enviaremos mais informações através de contato pelo seu e-mail.
      Atenciosamente,
      Equipe Editorial do Portal DSS Brasil

  32. Oi tudo bom
    sou da Vila Barraginha em contagem mg e minha quebrada necessita de projetos sociais
    para passar uma visão diferente para as crianças. Como faço para minha quebrada participar do Fica Vivo?
    Obrigado

    • Caro Fabão, agradecemos sua participação e interesse. Enviaremos mais informações através de contato pelo seu e-mail.
      Atenciosamente,
      Equipe Editorial do Portal DSS Brasil

  33. Boa noite. Faço parte de uma Liga Acadêmica de Estudos da Criminalidade, na Universidade Federal de Viçosa, e uma parte do nosso trabalho é tentar ajudar cidades próximas com problemas de criminalidade. Uma maneira de realizar isso é introduzir programas sociais, tais como o Fica Vivo! nestas cidades. Gostaria de saber, portanto, como é o processo para o cadastramento de uma cidade nele.

    Agradeço a atenção.

    • Prezado Pedro, agradecemos sua participação e interesse. Enviaremos mais informações através de contato pelo seu e-mail.
      Atenciosamente,
      Equipe Editorial do Portal DSS Brasil

  34. Olá, Professor de jiu-jitsu e taekwondo, sou formado faixa preta em ambas as artes e tenho interesse em participar ministrando uma oficina neste programa em Belo Horizonte ou em Ribeirão das Neves, como faço para participar?
    Aguardo resposta.
    Obrigado.

    • Prezado Diego, agradecemos sua participação e interesse. Enviaremos mais informações através de contato pelo seu e-mail.
      Atenciosamente,
      Equipe Editorial do Portal DSS Brasil

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*