Brasil é campeão em cesarianas no mundo, revela estudo

O Brasil é recordista mundial em cesarianas, e os índices mais alarmantes são no setor privado, com 88% dos nascimentos. Os dados são da pesquisa da Fiocruz, Nascer no Brasil, a primeira e mais completa sobre partos e nascimentos no país. O estudo, coordenado pela pesquisadora da ENSP, Maria do Carmo Leal, e realizado em parceria com diversas instituições científicas do país, revela que a cesariana corresponde ao total de 52% dos partos realizados, mesmo em adolescentes.

A recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS) é de que somente 15% dos partos sejam realizados por meio de procedimento cirúrgico. O número excessivo de cesarianas expõe desnecessariamente as mulheres e os bebês aos riscos de efeitos adversos no parto e nascimento. Segundo Maria do Carmo Leal, “o índice elevado de cesarianas se deve a uma cultura arraigada no Brasil de que o procedimento é a melhor maneira de se ter um filho, já que o parto normal é realizado com muitas intervenções e dor”.

Embora 70% das brasileiras optem pelo parto normal no início da gestação, são poucas as que conseguem, tanto no setor púbico quanto no privado. Além disso, o modelo de atenção ao parto normal no Brasil é extremamente medicalizado, com intervenções excessivas e uso de procedimentos que, além de não serem recomendados pela OMS como rotina, provocam dor e sofrimento desnecessários. “Este modelo não inclui as boas práticas obstétricas”, afirma a pesquisadora que aponta na entrevista outros dados importantes do estudo.

Confira, abaixo, a entrevista com Maria do Carmo Leal sobre o Nascer no Brasil.

Acesse também o Sumário Executivo Temático da Pesquisa e Inquérito Nacional sobre Parto e Nascimento.

 

Fonte: Damas V. Brasil é campeão em cesarianas no mundo, revela estudo [Internet]. Rio de Janeiro: Informe Ensp; 2014 Maio 30 [acesso em 09 jun 2014]. Disponível em: http://www.ensp.fiocruz.br/portal-ensp/informe/site/materia/detalhe/35446 

 

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*