Controle da Malária no Amazonas é bem sucedido com a integração entre serviços

Borba, município prioritário para o controle da malária no estado do Amazonas, teve o trabalho intitulado “O Impacto da Integração entre a Vigilância em Saúde e Atenção Básica nas Ações de Controle da Malária”, iniciativa da Secretaria Municipal de Saúde e Fundação de Vigilância em Saúde de Borba, entre os premiados com menção honrosa no Prêmio Pró-Equidade em Saúde.

Durante muito tempo, a cidade manteve grande concentração de casos da doença na área urbana, o que dificultou seu controle. Havia ainda como fator agravante o Lago Borba, que atinge grande parte do contorno do município e era visto como um “criadouro”, necessitando de manejo ambiental. A integração de ações e instâncias de governo colocou-se como uma necessidade imperiosa para combater o problema e melhorar a qualidade de vida da população.

As iniciativas para o controle da doença tradicionalmente estavam centralizadas na Gerência Municipal de Endemias, ligada também à Fundação de Vigilância em Saúde (FVS). Porém, no ano de 2009, promoveu-se uma integração da Gerência de Endemias com a Atenção Básica. Desde então, várias ações que eram de exclusividade dos Agentes de Endemias passaram a ser de responsabilidade também dos Agentes Comunitários de Saúde (ACS). Essa integração permitiu descentralizar as medidas de controle da malária.

A implantação de um laboratório em cada Unidade Básica de Saúde (UBS) da cidade para o diagnóstico da doença através de análise microscópica e a presença de um microscopista exclusivo para esta função, possibilita hoje, que o Agente de Saúde participe do tratamento do paciente, agendando a coleta da LVC (Lâmina de Verificação de Cura) e acompanhando-o durante todo o tratamento.

Atualmente, toda a área rural do município é coberta por ACS capacitados para a coleta da lâmina, bem como microscopistas que atendem as comunidades. A Área Indígena de Saúde (AIS) também conta com Agentes de Saúde.

Em maio de 2010, foi criado o Comitê Interinstitucional de Vigilância e Controle da Malária e Dengue, onde estão envolvidas as Secretarias Municipais de Saúde, Educação, Esportes, Cultura e Lazer, Assistência Social, Administração, Obras, Produção Rural e Abastecimento. O comitê reúne- se uma vez por mês e em sessões extraordinárias quando necessário. É quando ações realizadas são avaliadas e se discutem medidas de intervenção.  Além disso, a Coordenação da Atenção Básica realiza semestralmente uma Reunião de Avaliação das Ações da Atenção Básica onde são verificadas também as ações da vigilância por UBS.

Atualmente, Borba é o único município do interior do Amazonas que já inseriu também o agente de endemias na Atenção Básica.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*