CEPI DSS E SDH Net promoveram debate sobre reforma sanitária da Colômbia na ENSP

Arte: CCI/ENSP

O Centro de Estudos, Políticas e Informação sobre Determinantes Sociais da Saúde da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (CEPI DSS/ENSP/Fiocruz), promoveu dia 4 de setembro, no âmbito de atividades do projeto Social Determinantes of Health (SDH Net), iniciativa da União Europeia que realiza pesquisas sobre DSS, o evento Perspectivas sobre a Reforma Sanitária na Colômbia (1993-2014). O debate, realizado na ENSP contou com as palestras dos professores Jaime Breilh, Diretor da Área de Saúde e professor da Universidade Andina Simon Bolívar, Maurício Torres e Juan Carlos Eslava, professores da Universidade Nacional da Colômbia.

O objetivo foi debater a conjuntura atual, analisar as mudanças iniciadas na década de 90 e ainda, as medidas necessárias para a criação de uma política de saúde mais equânime naquela nação. A coordenadora do evento e do Centro de Estudos Políticas e Informação sobre Determinantes Sociais da Saúde, Patrícia Tavares Ribeiro, abriu as apresentações falando sobre a importância de evidenciar os DSS e da atuação sobre eles para a promoção da equidade. “A Determinação Social do processo de saúde-doença é constitutiva do campo científico da saúde coletiva no Brasil, construído em estreita locução com o pensamento crítico latino-americano, que por sua vez foi responsável por uma extensa produção de conhecimento e de práticas políticas que informaram as reformas sanitárias de diversos países”, situou Patrícia. “Recuperar esta história e olhar para o futuro, para nós, do CEPI, é fundamental”.

O objetivo do projeto Social Determinantes in Health (SDH Net) é promover debates que consolidem a atuação sobre os Determinantes Sociais de Saúde, principalmente com a interação de instituições latino americanas. “Nossa ideia é envolver grupos de pesquisa que trabalhem a temática dos DSS”, comentou Elis Borde, pesquisadora do CEPI DSS e do SDH Net.  Confira os áudios das palestras dos três convidados, que tiveram como temas A epidemiologia crítica como instrumento de valorização da reforma em saúde e da construção, Mobilização social e ação coletiva na reforma e Processo sócio-político da reforma e Notas comparativas sobre a reforma sanitária brasileira. Clicando no texto acima sobre o nome dos palestrantes, você pode acessar suas apresentações.

Nos links abaixo, confira os áudios com as apresentações:

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*