Divulgada a Declaração do Rio

Foi divulgada no encerramento da Conferência Mundial sobre os Determinantes Sociais da Saúde, no Forte de Copacabana, a Declaração do Rio. O documento, disponível neste portal, destaca cinco áreas de ação. Alexandre Padilha, ministro da Saúde, esteve presente e falou durante a apresentação do texto.

Maria Guzenina Richardson, vice-presidente da Conferência, também comentou o documento. “O tópico da Conferência é muito rico para todos os países do mundo. E enfrentamos os mesmos desafios em todo o planeta. Saúde e outros problemas estão ligados aos Determinantes Sociais. Sempre que esse número de pessoas tão determinado se reúne, há esperança”, destacou.

“O acesso à saúde é também um tema de relevância no contexto de desenvolvimento sustentável. Tema em questão na Rio +20. A conferência que encerramos hoje é um importante passo no caminho da Rio +20”, lembrou o ministro das Relações Exteriores, Antônio Patriota. Ele agradeceu ao  coordenador geral do Pro-Isags e ex-ministro da Saúde, José Gomes Temporão,  pelo empenho em sua gestão à frente do Ministério,  à Paulo Buss, Diretor do Centro de Relações Internacionais em Saúde da Fiocruz (CRIS),  e aos representantes de ONGs presentes pelo comprometimento e participação diante  das propostas da CMDSS.

Patriota encerrou seu discurso com a frase: Todos pela equidade. Equidade para todos.

Acesse aqui da Declaração Política do Rio sobre os Determinantes Sociais da Saúde.

 

Referência Bibliográfica

WHO-World Health Organization. Rio Political Declaration on Social Determinants of Health. Rio de Janeiro: WHO; 2011.

WHO-World Health Organization. Declaração Política do Rio sobre Determinantes Sociais da Saúde. Rio de Janeiro: WHO; 2011.

WHO-World Health Organization. Declaración política de Río sobre determinantes sociales de la salud. Rio de Janeiro: WHO; 2011

 

 

 

 

 

5 Comentário

  1. Considero a busca pela equidade um ponto relevante para redução das desigualdades sociais em todo o planeta.

  2. A Declaração do Rio será um marco importante no redirecionamento de prioridades da saúde pública no mundo. É uma oportunidade ímpar de buscarmos bem-estar social para os povos através de uma ação coordenada. Aqui no Brasil, o papel de cada Estado, cada município é assumir estas diretrizes e incorporar as mesmas no planejamento regional e local.Parabéns ao Governo Brasileiro e à OMS pelo evento!

  3. Durante a Conferência Mundial sobre DSS e suas discussões, vivemos um momento histórico da maior importância para a Saúde. Parabéns à OMS e seus países membros por porem estas questões em destaque em suas agendas.
    A Declaração do Rio entra no rol das grandes referências em saúde, junto com as Declarações de Alma-Ata ’78 e Ottawa ’86.

  4. Equidade em relação a quê? Ricos e pobres? Pode ser.
    Mas, mesmo desenvolvimento social não impede a continuidade de estruturas racistas e sexistas, assim como de outras formas de discriminação e opressão.
    Chegamos ao século 21 com uma declaração que acentua o que pretende resolver: os determinantes sociais da “doença.”
    E preciso que os movimento sociais e lideranças, em especial o movimento negro e feminista, leiam as entrelinhas da Carta do Rio, e acordem para os mecanismos a que estão sujeitos para manutenção das discriminações institucionais: cooptação e tokenismo. Autonomia e independência devem ser mantras para poder se conquistar equidade étnica e de gênero verdadeiramente.

  5. Esse evento foi algo muito importante para todos e todas que participaram e para o mundo!
    Evento necessário e sério!
    Parabéns!!!!

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*