CEPI DSS promoveu hoje debate no 11º Congresso Brasileiro de Saúde Coletiva

Mesa de debates do dia 29. Determinantes Sociais da Saúde na pauta./ Imagem: Elis Borde
Mesa de debates do dia 29. Determinantes Sociais da Saúde na pauta./ Imagem: Elis Borde
Mesa de debates do dia 29. Determinantes Sociais da Saúde na pauta./ Imagem: Elis Borde

GOIÂNIA- O Centro de Estudos, Políticas e Informação sobre Determinantes Sociais da Saúde (CEPI DSS/ENSP/Fiocruz) promoveu, no primeiro dia de debates do 11º Congresso Brasileiro de Saúde Coletiva, a mesa Determinação Social e Saúde Coletiva: Debate Atual que contou com a participação de Maurício Lima Barreto, pesquisador da Fiocruz Salvador, Paulo Buss, coordenador do Centro de Relações Internacionais em Saúde (Cris) da Fiocruz e Ligia de Salazar, da FUNDESALUD/Colômbia.

A mesa, mediada pela coordenadora do CEPI DSS, Patrícia Tavares Ribeiro, focou a discussão sobre desigualdades em saúde e na sociedade e foi uma das primeiras plenárias realizadas na tarde desta quarta-feira. A cobertura completa da mesa será publicada em breve. “Objetivamos atualizar o debate acerca da determinação social da saúde do processo saúde e doença e suas implicações para a identificação e medição de iniquidades em saúde e para o desenho de políticas públicas visando a redução das iniquidades”, destacou Patrícia. “Essa atualização se faz necessária hoje porque, com a criação da Comissão Nacional sobre Determinantes Sociais da Saúde pela Organização Mundial da Saúde, em 2005, e na sequência a incorporação em sua agenda de atividades de apoio a países e parceiros globais visando o fortalecimento da capacidade de pesquisa e  iniciativas governamentais neste campo de intervenções, mundializaram-se interpretações e reinterpretações das relações sobre saúde e sociedade e novos interesses atores entraram em cena nas arenas politicas movimentando as instituições”, situou ela.

Pela manhã Moyses Szklo, reverenciado nome da epidemiologia brasileira, ministrou a Conferência Magna, que prestou homenagem a Ruy Laurenti, levando seu nome. A conferência teve coordenação de Maurício Lima Barreto e debateu a Epidemiologia  Translacional: Desafios Semânticos e Outros.

Agora a pouco foi realizado o primeiro grande debate do Centro de Cultura e Eventos, intitulado Saúde da População Brasileira. O evento teve coordenação de João Batista de Deus da IESA (GO) e como debatedores Cesar Victora – UFPel (RS), Jairnilson Silva Paim, ISC/UFBA (BA) e Madel Therezinha Luz, da UFF e UFRGS (RJ). As apresentações foram iniciadas por volta das 18h e mantiveram o salão lotado pelos participantes do congresso.

Paim discursa na noite do dia 29/07/ Foto: Jaqueline Pimentel
Paim discursa na noite do dia 29/07/ Foto: Jaqueline Pimentel

Paim destacou pontos como a perda da seguridade social pelos brasileiros, os avanços no SUS, segundo ele, mérito dos profissionais que atuam na frente dos processos de atenção e ainda, as oportunidades e correlações de forças que cercam os processos em torno das políticas e práticas de saúde no Brasil. “Para aqueles que constroem o SUS no cotidiano, é possível identificar relevantes conquistas”, frisou Paim.

Os Determinantes Sociais da Saúde tiveram destaque nas falas de diversos panelistas durante o primeiro dia de congresso, em diálogos sobre desigualdade social, mortalidades materna e infantil, acesso aos serviços de saúde e hábitos de vida.

O Congresso continua até o dia 1º de agosto, sábado. Acompanhe as notícias aqui no portal DSS Brasil. Confira aqui a programação completa do evento.

 

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*